Novela Escrita | Suspeitas - Capítulo 01


São Paulo, junho de 2017

CENA 01: CASA DA FAMÍLIA PRADO - INT - NOITE

No quarto, Leonardo conversa com a mãe, Beatriz sobre o assassinato do pai. Os dois estão muito abalados e ele quer utilizar de todos os métodos para encontrar o verdadeiro culpado ou culpada.

LEONARDO: A polícia está investigando você e mais duas mulheres, mas a morte do meu pai pode, muito bem, ter sido causada por um homem!

BEATRIZ: Meu filho, presta atenção, tudo o que você está dizendo faz sentido. O fato de eu estar na lista de suspeitos tem a ver com os recentes escândalos e o pedido de separação que fiz a ele.

LEONARDO: Eles estão ligando à traição, onde você foi a maior vítima, ao assassinato! Isso é uma loucura mãe!

BEATRIZ: Eu sei meu filho. Eu amava o seu pai. Do fundo do meu coração. Você realmente acredita que eu seria capaz de matá-lo?

Leonardo se aproxima da mãe e a abraça bem forte:

LEONARDO: Claro que não, mãe! 

BEATRIZ: Eu fiz muita coisa pelo seu pai, Leonardo. Deixei toda uma vida para trás para estar com ele, para me casar e me dedicar a este casamento. O que ele fez comigo foi uma covardia profunda, uma ingratidão sem perdão. Mas eu sempre o amarei.

CENA 02: CASA DE CLARA – INT – NOITE.

Clara está na cozinha terminando de organizar a louça do jantar ao lado da tia Edna, com quem vive. Ela tem um passado pouco conhecido e era uma das cliente de Gustavo Prado, marido de Beatriz que morrera há duas semanas. Neste momento, Edna comenta com a sobrinha o fato de ela estar sendo investigada pelo crime.

EDNA: Clara, não é hora de você sair da cidade?

CLARA: Titia, não posso fazer isso! Seria um atestado de culpa e irei provar para todos e, principalmente para aquele atrevido do filho do Gustavo que não tenho nada a ver com a morte do pai dele!

EDNA: Essa gente é muito poderosa Clara, tem dinheiro. Podem colocar você na cadeia se descobrirem o mesmo que o Gustavo descobriu!

CLARA: Titia, presta atenção, ninguém vai descobrir o que houve comigo. Ninguém sabe da existência do Norberto. Fica tranquila!

EDNA: Às vezes me dá medo a maneira como você fala. Você parece tão segura de si. Fala como se realmente o Norberto não tivesse existido.

CLARA: E ele não existiu titia! Pare de citar o nome dele. Daqui a pouco alguma vizinha fofoqueira ouve e aí já viu, né. Bom, vou pro meu quarto descansar que amanhã o dia é longo naquela escola.

Clara vai para o quarto e Edna a chama:

CENA 03: UNIVERSIDADE DE COMUNICAÇÃO – EXT – DIA

DANIELA: Estou te falando amiga. Já prestei o depoimento e, se Deus quiser, vão me livrar dessa!

LIVIA: Que coisa mais absurda, acusarem você de assassinato! Tenho certeza que foi a esposa que o matou. Uma mulher traída é capaz de tudo!

DANIELA: Também sei que foi ela. Tenho certeza absoluta. Mas depois daquele escândalo com a foto nos jornais, a humilhação que sofri com o Gustavo falando em público que não tinha nada comigo, faz de mim uma suspeita do crime! Eles estão supondo que, ele deixou a amante e, para se vingar, eu o matei.

LIVIA: Amiga, fica tranquila, estávamos juntas naquela noite, você não tem nada a ver com esse crime!


TRÊS MESES ANTES

CENA 04 – ESCRITÓRIO DE GUSTAVO PRADO – INT – DIA

Gustavo é um advogado muito conhecido por julgar e ganhar causas famosas. Seu escritório é um dos mais conceituados de São Paulo. Ele é casado com Beatriz e, mantem, secretamente um caso com Daniela

Neste momento, Gustavo está atendendo uma cliente enigmática que o está deixando intrigado:

GUSTAVO: Então a senhora quer que eu defenda seus direitos na separação com seu marido?

CLARA: Sim. É isso mesmo! Olha doutor, eu sei que o senhor tem muito trabalho, que está envolvido com causas grandes, mas eu preciso do senhor pela sua competência. Eu pago, o preço que for, mas quero o senhor como meu advogado!

GUSTAVO: Vamos entrar mais a fundo nesta questão, Clara. O que, de fato, está acontecendo?

CLARA: Doutor, eu quero me separar do meu marido. Não dá mais certo a nossa relação. A gente já conversou, está tudo certo. Estamos em paz, mas ele quer que eu resolva essa parte burocrática.

GUSTAVO: Certo. Dona Clara, podemos conversar melhor sobre isso amanhã. A senhora marca um horário com minha secretária e irei lhe atender.

CLARA: Somente diga se aceita meu caso, se o doutor aceitar, estará me ajudando muito. Quero um processo ágil doutor Gustavo. Quero me livrar deste compromisso e seguir meu caminho. Não aguento mais esperar.

GUSTAVO: Bom, eu aceito! Prometo agilizar o processo de separação e, como seu companheiro está de acordo, será tudo mais fácil!

CLARA: Ele está de acordo sim, só não tem paciência para essas coisas de resolver papéis e ir atrás de advogado. Mas amanhã volto aqui com tudo o que for necessário para darmos início ao processo de divórcio. Muito obrigado, doutor Gustavo!

Clara cumprimenta Gustavo e em seguida deixa a sala. O advogado chama Nanda, sua secretária:

NANDA: O senhor precisa de alguma coisa doutor Gustavo?

GUSTAVO: Preciso sim, Nanda. Eu quero que você peça para o investigador Lucas vir até aqui urgente. Diga que preciso muito falar com ele.


CENA 05 – APARTAMENTO DE GUSTAVO – INT – NOITE

Gustavo comprou recentemente um apartamento para poder se encontrar com Daniela as escondidas:

DANIELA: Esse apartamento, daqui alguns meses, será nossa casa definitivamente!

GUSTAVO: Posso garantir a você que sim! Preciso esperar mais um ou dois meses no máximo até acertar uns detalhes do escritório e desocupar minha cabeça com isso. Depois, irei pedir a separação para a Beatriz.

Os dois se beijam e fazem amor. Depois, Gustavo está na sacada do apartamento com Daniela e é fotografado por alguém.

CENA 06 – CASA DE GUSTAVO E BEATRIZ – INT – NOITE

Gustavo chega em casa e o relógio na parede da sala marca que são onze e meia. Beatriz está sentada no sofá da sala vendo televisão:

BEATRIZ: Muito trabalho hoje meu amor?

GUSTAVO: Sim! Muito trabalho! Esse escritório e a mudança que quero fazer nele está me deixando louco!

BEATRIZ: Gustavo eu gostaria de te fazer uma pergunta, será que você tem tempo para mim pelo menos um minuto?

GUSTAVO: Claro que sim, Beatriz! Porque você está falando comigo neste tom agressivo?

Beatriz se levanta do sofá e pega um papel do seu bolso.

BEATRIZ: Chegou aqui em casa hoje à tarde este papel. É um recibo de compra de um apartamento na Barra Funda. Você pode me explicar porque comprou um apartamento novo num bairro tão distante da nossa casa e do seu escritório?

Gustavo encara Beatriz.


CONTINUA.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.